ALIMENTAÇÃO vs COVID-19 - Algumas dúvidas que necessita de esclarecer




Numa altura em que o mundo se centra no combate desta pandemia (COVID-19) muitas questões se levantam, nomeadamente: Poderão ser os alimentos um meio de transmissão deste vírus? Ou por outro lado, até que ponto podemos utilizar a alimentação/suplementação como uma ação preventiva ou de tratamento para esta doença?



I- Os alimentos podem ser um meio de transmissão do Coronavírus?

Até ao momento, segundo as entidades competentes (EFSA-Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos e OMS-Organização Mundial de Saúde), não existe evidência de qualquer tipo de contaminação através do consumo de alimentos cozinhados ou crus. Contudo, deve manter as boas praticas de higiene na preparação, confeção e consumo de alimentos (orientações transmitidas pela ASAE). Isto é:

Lavar as mãos com frequência (com água e detergente durante 20 segundos), em seguida seque as mãos e feche a torneira com papel ou toalha para evitar contaminação cruzada, enquanto prepara e confeciona os seus alimentos;

Desinfeção adequada das superfícies (bancadas e mesas) onde prepara os seus alimentos;


Evitar que alimentos crus entrem em contacto com os já cozinhados (assim impede a

contaminação cruzada;

Lavar adequadamente os alimentos

(fruta, legumes...) e cozinhar/empratar

a comida a temperaturas adequadas;

• Não partilhe comida ou utensílios com os seus familiares;


II-Podemos reforçar o nosso sistema Imunitário através da alimentação?

De facto, tendo em conta a evidência científica atual, a resposta será não! Não existe evidência científica suficiente que demonstre que determinados alimentos ou suplementos alimentares podem atuar no reforço do nosso sistema imunitário ou, por outro lado, na prevenção/tratamento da COVID-19. No entanto, sabe-se que um bom estado nutricional no geral, assim como uma boa hidratação, podem otimizar o bom funcionamento do sistema imunitário e ser um fator diferenciador no curso e prognostico da doença (quando comparadas duas pessoas com estados nutricionais e de hidratação distintos). Assim sendo, poderá não haver um alimento/nutriente/suplemento específico que auxilie na prevenção ou tratamento do Coronavírus, mas uma alimentação equilibrada que visa manter um bom estado nutricional no geral, sim… poderá fazer a diferença.

Sabemos que o isolamento profilático/quarentena são um estímulo positivo a um consumo alimentar excessivo e desequilibrado. Por um lado, pelo excesso de tempo livre combinado com a compra preventiva de alimentos embalados para encher a despensa onde os valores energéticos dos mesmos, na maioria dos casos, são elevados e por outro lado pela inatividade física. É de máxima relevância que contrarie essa tendência e mantenha os bons hábitos alimentares. Nesse sentido, para garantir um bom funcionamento do sistema imunitário, deve ter uma ingestão hídrica adequada e uma alimentação completa, equilibrada e variada que visa o acesso a todo o tipo de macronutrientes (Hidratos de Carbono, Gordura e Lípidos) e micronutrientes (vitaminas e minerais, nomeadamente as vitaminas: A, B6, C e D e o cobre, ferro, selênio e zinco). Conseguimos suprir todas estas necessidades quando seguimos as recomendações expressas na roda dos alimentos. Para o auxiliar neste processo atente a imagem abaixo:



Em suma, neste período deve manter uma boa higienização dos alimentos assim como uma ingestão alimentar adequada, porém, não existe evidência de que os alimentos podem ser um meio de transmissão ou que determinados géneros alimentícios ou suplementos podem atuar na prevenção e tratamento desta pandemia. Para prevenção deve seguir as indicações da Direção Geral de Saúde assegurando boas práticas de higiene e distanciamento social.


Fonte: www.nutrimento.pt (SNS e DGS)



Maria Proença Nutricionista

Venha conhecer-nos e sinta a diferença GVN | OHC | IHC OMG www.omeuginásio.com

231 visualizações

© O Meu Ginásio